Entenda a reeleição de Maduro Featured

09 Fev 2019
26 times

As eleições presidenciais da Venezuela aconteceram, efetivamente, em 20 de maio de 2018. Maduro tentava reeleição mesmo com crise econômica e reprovação global, e mesmo assim “foi reeleito“.

A votação deveria ter acontecido em 22 de abril do ano passado, mas foi adiada para maio após um pacto entre Maduro e a oposição.

Em 2018 a programação inicial era para que acontecessem em dezembro. A decisão de adiantar para abril foi motivo de disputa política no país. A oposição queria 10 de junho. A situação propunha 18 de março. Houve impasse e as negociações fracassaram. A Assembleia Nacional Constituinte era exclusivamente partidária do Governo. A oposição chegou a cogitar a retirada de seus candidatos do pleito.

Desta disputa de datas começaram a surgir as primeiras suspeitas de fraude.

Escassez de recursos, hiperinflação e descontentamento popular já eram fatores inegáveis e a oposição apostava nisso para derrotar a poderosa máquina criada por Maduro.

Alguns líderes da oposição fugiram do país com medo, outros estavam presos e impedidos de participar da corrida, principalmente os mais fortes opositores do ditador: Leopoldo Lopez, Henrique Capriles, Antonio Ledezma, Freddy Guevara , David Smolansky, María Corina Machado e Miguel Rodríguez Torres.

Os principais partidos políticos da oposição foram desqualificados após terem sido forçados a registar-se pela segunda vez em menos de um ano pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE), por não participarem nas eleições municipais de 2017. Hitler fez algo parecido?

A oposição criou na época o movimento Somos Venezuela (Nós somos a Venezuela).

Segundo as pesquisas da época, Maduro liderava a corrida contra dois adversários: Henri Falcón, um chavista arrependido, o pastor evangélico, Javier Bertucci, e Reinaldo Quijada, que apoiou Hugo Chávez publicamente.

Maduro foi acusado pela oposição que uniu-se em torno do movimento de tentar legitimar uma ditadura.

O comitê eleitoral decidiu então mudar a data de 22 de abril para 20 de maio. Na véspera desta nova data as pesquisas apontavam vitória de Henri Falcón.

Falcón inesperadamente rompeu com a oposição.

Infelizmente, Falcon sucumbiu à tentação de participar e jogar o jogo da ditadura“, declarou Juan Pablo Guanipa, líder da primeira divisão da Justiça de Capriles.

Luis Romero, líder do partido de Falcón, disse que o melhor método eram as pesquisas e que os manifestos populares que causaram quase 130 mortes em 2017 eram ineficazes.

No processo eleitoral, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), encarregado de supervisionar as eleições também era (e ainda é) controlado por Maduro.

O governo bolivariano foi acusado de excluir candidatos da oposição, escolher candidatos, intimidar eleitores, comprar votos e oferecer comida àqueles que votarem no presidente.

Maduro disse em transmissão de vídeo pelo Facebook que o salário mínimo da Venezuela subiria 58% em 1º de março, para 392.646 bolívares por mês, ou 1,84 dólar, segundo o site DolarToday, que acompanha de perto a taxa do mercado negro. Ele também elevou em 67% o subsídio de passagens de comida dos venezuelanos para 915.000 bolívares por mês, o equivalente a US $ 4,29.

Em uma visita ao Delta Amacuro, Maduro entregou oito lanchas, nove ambulâncias e reabriu o Aeroporto “Antonio Díaz” Tucupita, entre outros anúncios, violando o artigo 223 da Lei Orgânica de Processos Eleitorais que proíbe o uso recursos estatais durante as campanhas eleitorais, bem como uma das prerrogativas do Acordo de Garantias Eleitorais assinado pelos candidatos presidenciais ao CNE.

Em 8 de maio, o ditador prometeu em campanha “casas, gasolina e trabalho” em Puerto Ayacucho.

“Todo que tiver um ‘Carnê da Pátria’ tem que ir votar em 20 de maio. … Eu estou pensando em dar um prêmio ao povo venezuelano que saia para votar com o ‘Carnê da Pátria’ estou pensando…”

— Presidente Nicolás Maduro, 28 de abril de 2018

Segundo o Datanalisis, Maduro tinha no máximo 32,2%, contra 45,8% de Falcón.

O ditador passou a acusar os Estados Unidos de conspiração para se apoderar do petróleo venezuelano.

Finalmente, em 20 de maio, as eleições aconteceram. Maduro “venceu” e foi “reeleito” numa disputa em que 54% da população se absteve de votar e que segundo o pesquisador Félix Seijas, Maduro obteve 1,7 milhão de votos a menos que na eleição anterior de 2013.

Em 2013 as eleições foram em março, na Venezuela.

O Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), fundado por Hugo Chávez, comporta-se como dono do país, promovendo a Revolução Bolivariana, inicialmente liderada pelo próprio Chávez.

Maduro afirmava praticar o “socialismo do século 21“, de Chávez.

Em 2017 ele mandou fechar 49 veículos de comunicação que não se alinhavam com o Governo. 13 juízes da sala constitucional do tribunal supremo de justiça (TSJ) foram trocados por magistrados simpáticos a ele. Até a CNN ele tirou do ar no país. Centenas de empresas foram estatizadas. Setores inteiros como cimento e aço, são controlados por seu Governo. Mercados municipais foram militarizados para tentar conter a inflação. Assustados, grandes grupos saíram do país. A GM, antes de sair teve uma fábrica tomada pelo estado.

Rate this item
(0 votes)

2 comments

  • Weston Worman
    Weston Worman Domingo, 10 Março 2019 17:48 Comment Link

    A lot of of what you point out is supprisingly legitimate and it makes me wonder why I had not looked at this in this light before. This article really did turn the light on for me as far as this particular issue goes. Nevertheless there is actually just one factor I am not really too comfy with so while I try to reconcile that with the actual central idea of the issue, permit me see exactly what the rest of the readers have to say.Well done.

  • for Brazil and Brazilian culture
    for Brazil and Brazilian culture Sexta, 01 Março 2019 02:35 Comment Link

    Excellent beat ! I wish to apprentice while you amend
    your website, how could i subscribe for a blog web site?

    The account aided me a acceptable deal. I had
    been a little bit acquainted of this your broadcast provided bright clear concept

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

Tela Noticia acima de tudo, representa jornalismo com seriedade em busca da verdade por trás dos fatos!

Lives Facebook

GALERIA FATO VERDADE