Governo vai se reunir com FMF para definir público nos estádios no Mineiro

Governo vai se reunir com FMF para definir público nos estádios no Mineiro thumbnail
A presença de público nos estádios no Campeonato Mineiro deste ano é incerta por conta de um novo avanço da COVID-19 em Minas Gerais. Diante disso, o governo de Minas já agendou reuniões com a Federação Mineira de Futebol (FMF), organizadora do torneio, para definir pela presença ou não de torcedores.
O campeonato começa em 26 de janeiro, quarta-feira, com seis partidas e todas as equipes em campo para a primeira rodada da fase classificatória. Até então, a presença de público é permitida conforme protocolos de cada cidade que recebe o jogo, mas o governo de Minas observa o caso e pode recomendar a realização de partidas sem torcedores.
Fábio Baccheretti, secretário de Saúde de Minas Gerais, afirmou nesta quinta-feira que uma reunião antes do início do torneio vai definir a situação envolvendo os torcedores.
“Conversei há pouco, hoje ainda, com o presidente da Federação Mineira de Futebol, Adriano Aro, falei da nossa preocupação pelo aumento de casos. Primeiro jogo é no dia 26 e vamos observando a pandemia. Iremos fazer uma reunião para decidir como iremos lidar com público nos estádios”, disse, durante entrevista coletiva nesta quinta.
O secretário afirmou que, neste momento, grandes públicos não são recomendados. Nessa quarta-feira, por exemplo, Minas Gerais teve um recorde de diagnósticos positivos para coronavírus em 24 horas, com 18.153 mil novos registros – o maior era de abril de 2021, com 16.479. O estado tem um total de 2.311.318 casos confirmados desde o início da pandemia, sendo que 81.844 seguem em acompanhamento.
“Realmente, grandes públicos não são recomendados neste momento mesmo com vacinados, porque a transmissão da Ômicron até em vacinado ocorre, e a gente tem que evitar essa transmissão. Então, a gente está conversando e iremos aí fazer essas reuniões e até o primeiro jogo, dia 26, iremos tomar uma decisão. Vamos observando o decorrer aí da pandemia”, completou o secretário.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *