Câmara de Feira faz nota pública sobre “selvageria e barbárie” no Paço

camara-de-feira-faz-nota-publica-sobre-“selvageria-e-barbarie”-no-paco

A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Feira der Santana nesta terça-feira tratou, na maior parte do tempo, do episódio de violência ocorrido na semana passada no Paço Municipal do qual tomaram parte vereadores. Na sessão, além de pronunciamentos dos vereadores, foram exibidos vídeos e ao final foi emitida uma nota pública onde condena “atos de selvageria e barbárie”, segundo a nota, praticados, apenas,  pelo Executivo “para silenciar o movimento dos professorers, autorizando a agredí-los”

Leia a nota na íntegra:

A Câmara Municipal lamenta e repudia, de forma veemente, os atos de selvageria e barbárie ocorridos nos últimos dias 31/03 e 01/04, no prédio da Prefeitura de Feira de Santana, quando o Poder Executivo, por meio de violência, tentou silenciar o movimento dos professores da rede municipal, autorizando prepostos da Guarda a agredi-los. Também foram atacados os Edis Fernando Torres, Silvio Dias, Emerson Minho e Jhonatas Monteiro, que, legitimamente, tentavam intermediar um entendimento entre Governo e docentes, com o objetivo de ajudar a encerrar a greve da categoria.

Os professores têm importância impar para a coletividade, são os propagadores de valores éticos e conhecimento, desde a infância, com fundamental participação na formação de todos. Ademais, é fato notório o estado de abandono das escolas municipais e ausência de condições básicas, até de merenda. Apesar da sua relevância, a classe é frequentemente menosprezada e negligenciada pela Administração Municipal.

A conduta do Executivo Feirense por meio de guardas municipais, com violência desmedida e atroz, revela o desrespeito a sociedade que sofre tanto com salários baixos, péssima infraestrutura e ausência de recursos. O gesto de autoritarismo do Executivo, que lembra os anos sombrios da ditadura militar, teve também como alvos os Edis da Câmara Municipal de Feira de Santana, que foram as ruas lutar junto com a classe em prol dos seus direitos atuando como legítimos representantes do povo e cumprindo o que compete ao exercício da cidadania e da vereança.
 

Em um regime democrático, os Princípios Constitucionais basilares asseguram a todos a livre manifestação de pensamento e o direito inafastável de lutar pelo que se acredita. A Casa da Cidadania sempre atuará na construção de uma sociedade justa e igualitária, respeitando todos os pensamentos, utilizando sempre o diálogo, sem atos de violência e supressão dos direitos fundamentais, como praticados pelo Executivo no nosso Município. O Legislativo, o Ministério Público, o Judiciário e toda a sociedade civil organizada, haverão de dar a resposta cabível a esta truculência.

Feira de Santana, 05 de abril de 2022

Related Articles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.