Petrobras arrenda Fafens na Bahia e em Sergipe por dez anos Featured

22 Nov 2019
7 times

A pós dez meses de portas fechadas, a Fábrica de Fertilizantes Hidrogenados da Bahia (Fafen) foi arrendada, nesta quinta-feira (21), para a Proquigel Química S.A, que vai deter o controle das atividades por dez anos, renováveis pelo mesmo período. A unidade de Sergipe também foi entregue à empresa, além dos terminais de amônia e ureia do Porto de Aratu, o que envolve o montante de R$ 177 milhões.

De acordo com a diretora de Refino e Gás Natural da Petrobras, Anelise Lara, o arrendamento das unidades vai permitir que as fábricas de fertilizantes, que estavam hibernadas desde 31 de janeiro, voltem a operar, gerando novos empregos e atraindo investimentos.

“Nosso planejamento estratégico concentra investimentos na produção de óleo e gás no Brasil. Ao focarmos nas atividades principais, estamos também abrindo espaço para que novas empresas surjam e comecem a investir em novos segmentos, e isso trará benefícios tanto para Bahia, quanto para Sergipe, pois abre novas perspectivas para as economias locais”, explicou.

A empresa, que participou de um processo de licitação, atua na produção e comercialização de produtos para o setor de papel e celulose, têxtil, eletrônicos, embalagens, eletrodomésticos, construção civil, automotivo, agronegócios, mineração e indústria química.

Hibernação
Após ser adiado por duas vezes, a hibernação da Fafen na Bahia aconteceu em 31 de janeiro deste ano, quando a fábrica encerrou a produção de amônia, ureia, ácido nítrico e hidrogênio. O processo foi marcado por inúmeros protestos de funcionários da empresa.

A justificativa do Sindicato dos Petroleiros e de outras empresas beneficiadas pelos insumos, à época, era a de que, com a hibernação, a estrutura da fábrica iria se deteriorar, deixando mais difícil o processo de arrendamento.

Durante os dez meses sem produção, pelo menos 15 empresas  foram  prejudicadas, já que a produção de amônia, por exemplo, é necessária para Oxiteno, Acrinor, Proquigel, IPC do Nordeste e PVC. A ureia é utilizada na Heringer, Fertpar, Yara, Masaic, Cibrafertil, Usiquímica e Adubos Araguaia; e o gás carbônico, na Carbonor.

Para o advogado do Sindipetro-BA,  ngelo Remédio, o retorno das atividades é muito benéfico, já que as Fafens são “responsáveis pelo abastecimento das indústrias, geração de empregos diretos e indiretos no país, além de arrecadação fiscal para o Estado”.

FONTE: BNEWS

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

Tela Noticia acima de tudo, representa jornalismo com seriedade em busca da verdade por trás dos fatos!

Lives Facebook

GALERIA FATO VERDADE