É possível consertar', diz Guedes sobre decisões econômicas de Bolsonaro Featured

15 Abr 2019
2 times
Após o presidente Jair Bolsonaro interferir na política de preços da Petrobras e suspender o reajuste de 5,7% no preço do diesel, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse neste sábado (13/4) que é possível “consertar” uma decisão do chefe do Executivo “que não seja razoável” na economia do país. “Uma conversa conserta tudo”, disse, em Washington, enquanto deixava o Fundo Monetário Internacional (FMI), onde cumpria agenda. Depois da decisão de Bolsonaro, as ações da empresa caíram 8,5% na Bolsa de Valores de São Paulo e o valor de mercado dela teve uma redução de R$ 32 bilhões em um dia.
 
Segundo o economista, Bolsonaro já havia dito que não era um especialista em economia e que o presidente só tomou a decisão porque deve ter se preocupado com os efeitos políticos de uma alta no diesel. “O presidente já disse para vocês que ele não era um especialista em economia, então é possível que alguma coisa tenha acontecido lá. Ele, ao mesmo tempo, é preocupado com efeitos políticos, estamos falando em greve de caminhoneiro, esse tipo de coisa, então é possível que ele esteja lá tentando manobrar com isso”, disse à imprensa.
 
Questionado sobre qual mensagem o governo quis passar com a decisão, Guedes afirmou que não sabia, mas iria se informar. “E eu concordo com suas preocupações”, acrescentou. Entretanto, o economista ressaltou o bom trabalho que o presidente da República tem feito à frente do Palácio e declarou que ele tem “muitas virtudes”. “Fez muita coisa acertada, e ele já disse que não conhece muito economia. Se ele, eventualmente, fizer alguma coisa que não seja razoável eu tenho certeza que nós conseguimos consertar. Uma conversa conserta tudo”, ponderou.
 
A interferência da política de preços ocorreu em meio à pressão dos caminhoneiros, que não esperavam pelo aumento. Ao serem informados do reajuste, líderes da categoria ligaram para o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, para demonstrar o descontentamento em torno do aumento do valor do litro do combustível. Foi quando Bolsonaro ligou para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para pedir para suspender o aumento.
 
Agora, o grupo quer conversar com o setor do agronegócio para fazer com que a lei dos preços mínimos do frete seja cumprida. Essa é uma das medidas compensatórias que fazem parte das demandas dos caminhoneiros desde a paralisação de 2018, que causou uma crise de desabastecimento no país. A fim de evitar uma nova greve, Bolsonaro se reuniu ontem com a titular da Agricultura, Tereza Cristina, no Palácio do Alvorada, para discutir a questão.
Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

Tela Noticia acima de tudo, representa jornalismo com seriedade em busca da verdade por trás dos fatos!

Lives Facebook

GALERIA FATO VERDADE